Arquivo mensal Maio 2020

Proposta de Frequências para modos digitais no CB

Os modos digitais nos 11 metros são uma realidade indiscutível e que ninguém poderá negar.

Os modos digitais estão a ganhar força e adeptos por todo o mundo, uma vez que, se por um lado o desafio das comunicações por voz a longa distância é grande, a verdade é que nos modos digitais se conseguem estabelecer comunicações a uma distância ainda maior e com uma facilidade que não se consegue nos 11 metros, em modo voz, e muito menos com as potências legais.

A essa facilidade acresce a variedade de modos existentes e o crescente aumento de aplicações e software que tornam tudo muito mais aliciante e fácil.

Deste modo, a Futuragora tem vindo a experimentar diversos modos de emissão e recepção, os vulgarmente chamados “modos digitais”.

São modos que utilizam a codificação/descodificação de texto em som, texto ou imagem, usando software para o efeito, e que utilizam um rádio CB vulgar, com a potência de lei, e nos modos e frequências legais admitidas para o território nacional, nos 11 metros, 27MHz, vulgarmente chamada Banda do Cidadão.

Apesar destes modos digitais serem frequentemente encontrados nas frequências não autorizadas, a Futuragora não o faz, nem promove.

Assim, resolveu a Futuragora, após prolongado estudo e escuta das frequências mais usadas, publicar o que encontrámos até à data, e consultar os utilizadores de rádio CB de modos digitais, de forma a se chegar a um consenso a usar em Portugal, senão mesmo fora de fronteiras. É mais fácil saber que se for a um determinado canal, encontrarei estações em modos digitais do que andar a rodar canais à procura.

Publicamos aqui um quadro com as frequências mais usadas, legais e piratas, e as que propomos passarem a ser usadas, dentro das frequências legais para CB, por todos nós. Esta é uma proposta-discussão da Futuragora, que espera obter a opinião daqueles que já utilizam os modos digitais. 

Agradecemos desde já os vossos contributos, de preferência explicados e justificados.

Modo

Digital

Canal CB
Legal
Proposto
Frequência
Legal
Proposta

Frequência ilegal

(freeband)

SSTV

21

27.215 AM/FM 27.700 USB
CW / RTTY

24

27.235 FM

27.500 USB

PACKET

24

27.235 FM

27.500 USB

JS8

25

27.245 USB

27.635 USB

FT4 / FT8

25

27.245 USB

27.500 / 27.635 USB

ROS

25

27.245 USB

27.635 USB

PSK

25

27.245 USB

27.500 USB

SIM31

25

27.245 USB

27.500 USB

SSTV

26 27.265 USB

27.700 USB

Critérios utilizados na escolhas dos canais

Seguir as tendências internacionais. O canal 25 é utilizado a nível mundial para JS8, por esse motivo mantém-se em Portugal. De igual modo o Packet em canal 24 FM e os restantes modos em canal 25 também já são frequentemente utilizados noutros países.

Utilizar canais aparentemente livres. Este é o motivo de não utilizarmos o canal 22 dado que é ocupado diariamente por camionistas em AM.

Agrupar em canais os modos que tecnicamente sejam compatíveis. No canal 25 são aqueles modos em banda lateral que utilizam uma faixa estreita, permitindo coexistir com outras emissões no mesmo modo ou em modos diferentes. Além disso um computador pode ter os quatro programas a correr ao mesmo tempo e assim receber qualquer comunicação. Permite também que, sem sair do canal, o operador se aperceba que outros modos estão a ser utilizados.

Permitir a quem tenha rádios só com AM/FM poder participar em alguns modos. É o caso da emissão de imagens em SSTV. no canal 26 a emissão é feita em USB mas no canal 21 é em AM ou FM de forma a que qualquer rádio possa ser utilizado.

Rádio AM – morto na Europa?

Postado por James Cridland no AllAccess em 8 de setembro de 2015

Algo que surpreende muitos visitantes da América do Norte ou da Austrália é a quantidade de estações AM: e o fato de muitas delas ainda serem líderes de mercado.

Em Sydney, 2 GB às 873 AM é enorme – tanto que a história das classificações regulares é qual é a estação FM mais popular. As estações AM da América do Norte são vencedoras de classificações e receita – de 1010 WINS na cidade de Nova York, 680 News em Toronto ou KFI em Los Angeles.

E na Europa? Hmm, nem tanto.

(Temos duas bandas AM aqui, MW e LW. Vou chamar Medium Wave de ‘AM’, já que todos nós fazemos hoje em dia, embora pedantemente o Long Wave também use transmissão AM, apenas num comprimento de onda diferente.

A estação de rádio nacional na França, France Inter, irá encerrar o seu transmissor LW no próximo ano, economizando 15 milhões de dólares americanos. A BBC Radio informou que planeia fechar o transmissor LW da BBC Radio 4 quando as válvulas restantes (eles têm menos de dez) queimarem.

Na Holanda, na semana passada, explosivos derrubaram o último mastro AM em Lopik, um transmissor de rádio que até ao ano passado transmitia rádio pública e comercial. Outros mastros AM também foram fechados no país. A NPO, a emissora de serviço público, afirma que a economia para eles é de 1.3 milhóes de dólares por ano.

France Bleu e France Info, mais duas estações de rádio francesas de serviço público, fecharão mais de dez frequências AM nos próximos doze meses. Em 2012, a emissora irlandesa RTÉ fechou o seu último transmissor AM e planeia fechar o seu próprio transmissor de ondas longas em 2017.

Na Alemanha, a emissora de serviço público está a encerrar os seus transmissores AM. A Rússia encerrou recentemente suas transmissões LW. Em muitos países nórdicos, a AM foi desativada há alguns anos. A BBC está lentamente a fechar repetidores de AM para suas estações de rádio locais e fechou um grande transmissor de AM para o Serviço Mundial da BBC em 2011. A rádio comercial no Reino Unido transmite principalmente serviços de jukebox sem DJ ou transmissões em idioma estrangeiro em AM, e entregou as licenças de AM volta no passado.

Fonte: https://www.asiconferences.com/am-radio-dead-in-europe/