25 de Abril, uma vez e nunca mais

From Futuragora Wiki
Jump to navigationJump to search

Um dia disse um sábio aos seus discípulos: "Se um dia construirem uma estátua em minha honra significa que estão a andar para trás."

Abril visto mais tarde

A Revolução dos Cravos continua a dividir a sociedade portuguesa[62], sobretudo nos estratos mais velhos da população que viveram os acontecimentos, nas facções extremas do espectro político e nas pessoas politicamente mais empenhadas. A análise que se segue refere-se apenas às divisões entre estes estratos sociais.

Extremam-se entre eles os pontos de vista dominantes na sociedade portuguesa em relação ao 25 de abril. Quase todos reconhecem, de uma forma ou de outra, que a revolução de abril representou um grande salto no desenvolvimento político-social do país[63][64].

À esquerda, pensa-se que o espírito inicial da revolução se perdeu. O PCP lamenta que não se tenha ido mais longe[65] e que muitas das chamadas "conquistas da revolução" se tenham perdido. Os sectores mais conservadores de direita tedem a lamentar o que se passou. De uma forma geral, uns e outros lamentam a forma como a descolonização foi feita. A direita lamenta as nacionalizações [66][67] no período imediato ao 25 de abril de 1974, afirmando que a revolução agravou o crescimento de uma economia já então fraca[68]. A esquerda defende que a o agravamento da situação económica do país é consequnte de medidas então programadas que não foram aplicadas ou que foram desfeitas[69] pelos governos posteriores a 1975[70][71], desfeitas as utopias da construção de um socialismo democrático.

Re

Olhando para as festividades, se assim as podermos chamar, nada de festa senti. Tempos haviam que essa data me arrepiava a espinha só de vislumbrar a repressão e limitação à liberdade de um antigo regime.

Paremos um momento para pensar. Visualizando as imagens das "demontrações" de 25 de Abris, este e passados, reparamos todos e mais variados grupos. Desde grupos de desempregados e activistas políticos até todos e mais variadas classes profissionais, classes partidárias e classes económicas. É a liberdade. o 25 de Abril trouxe a democracia. No entanto parece que os direitos conquistados são meras declarações em papel. A CRP enumera direitos liberdades e garantias que só se podem dar como cumpridas alienados neste "matrix" da vida moderna.

Temos eleições e temos liberdade de expressão. Eleições para para todos os tipos de cargos públicos até mesmo referendos por um lado. Por outro, neste estado de Direito democrático é-nos atribuída uma liberdade intrínseca de não discriminação em razão do sexo, da idade, da raça ou religião.

Friamente, tratam-se de meras declarações em papel não cumpridas e pior, incluindo a própria democracia limitada ao sufrágio e pouco esclarecida.

Temos sindicatos, associações, grupos políticos, liberdade e expressão entre outras que antes de 74 não tínhamos, conquistas que não serão esquecidas

Quão mais anos será festejada essa data com o cinismo de que vivemos livres em democracia? Consulte: "


Tudo no mundo está ondenado a eveolução, quem disse?