Abelhas e Poluição

From Futuragora Wiki
Jump to navigationJump to search

By Molly Michelson

Air pollution affects not only human health, but the health of other organisms, too. Take diesel fuel exhaust, known to cause cancer, heart and lung disease, and mental illness in humans. Responding to such health threats, most nations have regulated removing sulfur from fuel in an effort to make these emissions less toxic.

But new research from the University of Southampton shows that even the cleaner fuel exhaust can harm a very important insect—the honeybee.

As if honeybees weren’t already under siege, Colony collapse disorder (CCD) kills an alarming number of bees each year and, in a study from earlier this year, was linked to some pesticides.

The current study looked at specific chemicals in diesel fuel exhaust—nitric oxide and nitrogen dioxide, or NOx gases. Researchers mixed NOx gases with the chemicals in the odor of oil rapeseed flowers and discovered that eight of the floral chemicals altered and two were completely lost.

The scientists trained bees in a lab to recognize the floral scent of the rapeseed flowers. However, when those same two chemicals were removed, the bees could not recognize the scent.

This could pose a big problem for honeybees, since they use floral odors to help locate, identify, and recognize the flowers from which they forage. And we humans depend on this foraging to pollinate a variety of agricultural crops—a critical job worth billions of dollars each year.

The researchers say that these chemical changes may affect honeybees’ foraging efficiency, and could ultimately affect pollination and global food security. “Honeybees use the whole range of chemicals found in a floral blend to discriminate between different blends,” says study co-author Guy Poppy. “And the results suggest that some chemicals in a blend may be more important than others.”

“NOx gases represent some of the most reactive gases produced from diesel combustion,” adds another co-author, Tracey Newman. “But the emissions limits for nitrogen dioxide are regularly exceeded, especially in urban areas. Our results suggest that diesel exhaust pollution alters the components of a synthetic floral odor blend, which affects the honeybee’s recognition of the odor. This could have serious detrimental effects on the number of honeybee colonies and pollination activity.”

The finding was published last week in Nature Scientific Reports.

Image: University of Southampton


http://www.calacademy.org/sciencetoday/pollution-and-honeybees/5512484/



Tradução

Por Molly Michelson

A poluição do ar afeta não só a saúde humana, mas também a saúde de outros organismos. A combustão de combustíveis fósseis é conhecida por causar cancro, doenças cardíacas e pulmonares, ou doenças mentais em humanos. Respondendo a essas ameaças à saúde, a maioria das nações têm regulado a remoção de enxofre do combustível num esforço para tornar essas emissões menos tóxicas.

Mas uma nova pesquisa da Universidade de Southampton mostra que mesmo o escape dos motores de combustível limpo pode prejudicar um insecto muito importante.

Como se as abelhas não estivessem já estado de sítio, o Colony Collapse Disorder (CCD) mata um número alarmante de abelhas cada ano que num estudo do início deste ano, foi associado a alguns pesticidas.

O corrente estudo olhou para produtos químicos encontrados no escape dos motores a diesel - Óxido nítrico e dióxido de azoto, ou de gases NOx. Os pesquisadores realizaram uma mistura de gases NOx com os produtos químicos em que o odor do óleo de flores de colza e descobriram que oito dos produtos químicos florais alterados e dois foram completamente perdidos.

Os cientistas treinaram abelhas em laboratório para reconhecer o perfume floral das flores de colza . No entanto, quando os mesmos dois produtos químicos foram removidos, as abelhas podem não reconhecer o perfume.

Isso poderia representar um grande problema para as abelhas, uma vez que eles usam os odores florais para ajudar a localizar, identificar e reconhecer as flores a partir das quais se alimentam. E nós, seres humanos dependemos desta forrageira para polinizar uma variedade de culturas agrícolas, um trabalho crítico no valor de bilhões de dólares a cada ano.

Os pesquisadores dizem que essas alterações químicas podem afetar a eficiência de forrageamento das abelhas, e pode afectar a polinização e da segurança alimentar global.

"Gases NOx representam alguns dos gases mais reativos produzidos a partir de combustão a diesel", acrescenta outro co-autor, Tracey Newman. "Mas os limites de emissões para o dióxido de nitrogénio são regularmente superado, especialmente em áreas urbanas. Os nossos resultados sugerem que a poluição de escape de diesel altera os componentes de uma mistura de odor floral sintético, o que afecta o reconhecimento do odor pela abelha. Isto poderá ter efeitos prejudiciais graves sobre o número de colónias de abelhas e da atividade de polinização.

O relatório científico foi publicado na semana passada na revista Nature Scientific Reports.

Imagem : University of Southampton

Categoria:Notícias Científicas Categoria:Artigo