Os desafios da Produtividade: Novas Habilidades na Era da Informação e do Conhecimento e o papel central da Gestão do Conhecimento

From Futuragora Wiki
Revision as of 18:04, 6 June 2018 by Reset (talk | contribs) (Created page with "No contexto da inclusão social é de fundamental importância uma reflexão profunda sobre as habilidades necessárias para os indivíduos conseguirem ter um desempenho funci...")
(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to navigationJump to search

No contexto da inclusão social é de fundamental importância uma reflexão profunda sobre as habilidades necessárias para os indivíduos conseguirem ter um desempenho funcional na Sociedade da Informação e do Conhecimento. As demandas do mundo crescentemente digital, informacional e baseado na inovação como elemento constante são muito distintas das demandas do mundo analógico e industrial. Para ser efetivo profissionalmente ou pessoalmente os indivíduos deverão adquirir e aprimorar constantemente habilidades relacionadas à busca, análise, validação, publ icação e disseminação de informação e conhecimento. Ser produtivo na Era da Inform ação e do Conhecimento requer um foco não no exercício da memória, mas no exercício das habilidades de processamento e colaboração em torno da informação e do conhecimento.

Produtividade é uma questão fundamental para indivíduos, empresas e países. São mais produtivos aqueles que conseguem obter uma melhor relação entre output e input. Em uma economia baseada em recursos naturais e processos industriais esta re lação é bem direta. Os inputs são matéria-prima, energia, máquinas e mão-de-obra e o output são produtos gerados pelos processos produtivos. Esta visão macr o pode ser decomposta em várias medidas parciais de produtividade, que quando compos tas resultam na produtividade total. Mas como fica este cálculo quando tanto inputs como outputs são essencialmente intangíveis?

De uma certa maneira, elas também podem ser compostas a partir de uma visão apenas econômico-financeira, porém ao contrári o da economia baseada em tangíveis, a produtividade física deixa de fazer sentido. Não podemos mais falar apenas em tantas peças por hora ou tal volume por dia. Não faz sentido, por sua vez, falarmos em tantas idéias por hora ou tantas decisões por pessoa empregada. É fato, no entanto, que, cada vez mais, boa parte dos investimentos e esforços em gestão tem a ver com melhorar a capacidade criativa, tomada de decisão e emprego de mel hores técnicas e métodos produtivos.

Se concordarmos que os resultados do trabalho intelectual são o grande diferenciador entre indivíduos, empresas e países, podemos afirmar que um dos grandes desafios da atualidade é a melhoria contínua da produtividade do trabalho intelectua l. Estamos falando não de um trabalho intelectual do tipo acadêmico, mas do trabalho realizado por qualquer pessoa produtiva. Reconhece-se e mesmo exige-se, cada vez mais, mesmo em trabalhos antes tido como braçais (ex: linhas de montagem) que as pessoas sejam capazes de tomar decisões quanto ao andamento do trabalho, reorganizem a seqüência de produção e implementem melhorias freqüentes. A competitividade se manifesta de forma crescente em função da capacidade humana de agregar inteligência como input aos processos produtivos.


Fonte

http://biblioteca.terraforum.com.br/BibliotecaArtigo/libdoc00000198v001DrJoseClaudioCyrineuTerra.pdf